Diário de Heloisa S. Ferreira

23 March 2013

MEMÓRIA

Como esta palavra habita, repousa, se traduz e se "materializa" em sua residência?
Talvez ela se materialize tomando a forma de um livro.
Se materialize numa cadeira herdada.
Se torne visível nos porta retratos revelando os entes queridos.
Brinque nos toques de cores que te lembrem a infância ou momentos alegres.
Tente se reinvendar nos objetos reciclados.
Talvez busque os antigos jardins nas flores dos jarros.
Enraíza nas gavetas.
Se aglutina nas coleções.
A memória nos traz referências, nos lembra que fazemos parte de algo, deixa a casa com cara de casa, de lar e não de um cenário.Talvez, por isso, as pessoas estejam redescobrindo e assumindo o charme das coisas antigas, da cadeira com madeira gasta, do móvel um pouco puído e do tom desbotado.
Será que as idas aos brechós e antiquários, tão em moda atualmente, podem esconder o desejo de uma busca de referências e de um tempo perdido, de um tesouro perdido?
Alguns compram uma referência ou uma história que não os pertence, coisas dos tempos modernos. Outros inventam uma memória através das pátinas, dos falsos envelhecimentos dos objetos, nos tons envelhecidos obtidos através de técnica modernas...
A memória está presente nos cantos da casa e será que você a reconhece em sua residência ?
Cultive a sua memória.
No momento de decorar um ambiente não é preciso se desfazer de todos os móveis antigos. Não tenha vergonha de inserir na nova decoração aquele móvel que embora não esteja em alta te traga boas lembranças. Porém lembre-se : considerando que a vida é curta e que os espaços estão cada vez mais reduzidos, a dica é que você mantenha em sua casa apenas coisas que resgatem da sua memória boas lembranças e agradáveis sentimentos.
Cultive apenas a boa e feliz memória.

( Autoria: Heloisa S. Ferreira / HeloisaSF. )







No comments:

Post a Comment